A vantagem do ensino profissional é “a progressão escolar e a possibilidade de adquirir competências práticas”, diz Delegado Regional do IEFP do Alentejo

O Centro de Emprego e Formação Profissional de Évora (IEFP), esteve presente na Futurália (a maior feira de educação, formação e empregabilidade em Portugal) e no seu stand do POCH – Programa Operacional Capital Humano, mostrou o seu Curso de Aprendizagem de Técnico/a de Cozinha e Pastelaria, bem como o Curso de Educação e Formação de Adultos de Técnico/a de Produção Aeronáutica de Maquinação CNC.

ODigital.pt marcou presença e falou com Arnaldo Frade, Delegado Regional do IEFP do Alentejo que falou da importância de estar presente neste certame dizendo que “é muito importante porque sabemos que ao longo do tempo, a forma como o ensino profissional foi olhado foi pouco prestigiante comparando com as saídas do ensino regular é natural que as pessoas façam a sua formação ao nível do secundário e depois pensem numa saída a nível académico e numa universidade. E o ensino profissional sempre foi visto como o sítio para onde iriam as pessoas que não conseguem fazer o seu percurso na outra via, como um ensino que não constituía a primeira oportunidade. E isto teve que ver muito com o desprestígio social das profissões”, acrescentando que “com o decorrer do tempo as coisas foram mudando e hoje é aceite a importância do ensino profissional e a importância do ensino profissional não só para os estudantes que queiram de uma forma mais rápida transitar para o mercado de trabalho, e portanto através dos cursos profissionais, os cursos e formação de adultos, o sistema de aprendizagem que o IEFP desenvolve, para além dessa possibilidade de irem para o mercado de trabalho mais cedo desenvolverem uma actividade de que gostam, há uma característica que é fundamental e nem sempre é lembrada, que foi fundamental para que a pouco e pouco as coisas pudessem mudar. “

O Delegado regional do IEFP de Évora destaca que numa “primeira vertente e naquilo que diz respeito à transição para o mercado de trabalho aquilo que resultou da formação profissional capacitante no sentido das competências permitiu a muitos jovens, ter uma formação que lhe permitia de imediato ter um emprego qualificado. Veja-se o que aconteceu ao nível da EMBRAER (…) mas também outras empresas como a LAUAK, tudo no sector aeronáutico, mas também em muitas outras áreas. Como na indústria, na relação que temos com a própria Repsol, portanto e por via da aquisição de competências ao nível profissional foi possível transitar para o mercado de trabalho, para profissões qualificadas e fazer formações que deram origem a preenchimento de forma rápida de um posto de trabalho

Outra das vertentes que Arnaldo Frade destacou foi a “tomada de consciência de que um aluno ao invés de frequentar o ensino regular, se fizer o ensino profissional, ele não fica vedado à possibilidade de prosseguir os estudos a nível superior. E portanto a grande vantagem do ensino profissional é além da progressão escolar é a possibilidade de adquirir competências práticas e de poder ficar em condições para integrar o mercado de trabalho se assim o entender e depois em paralelo poder fazer a sua formação académica ou não integrar o mercado de trabalho e prosseguir para a sua formação académica sem ter qualquer menorização por ter escolhido a via profissional e não o ensino regular.”

FONTE: odigital.pt/a-vantagem-do-ensino-profissional-e-a-progressao-escolar-e-a-possibilidade-de-adquirir-competencias-praticas-diz-delegado-regional-do-iefp-do-alentejo-c-som/

Receba as novidades do Blog no seu email:

Irá receber um email com um link de confirmação. Não se esqueça de clicar nesse link!

Author: PLE

Share This Post On

Trackbacks/Pingbacks

  1. Alunos de cursos profissionais não terão de fazer exames adicionais para o ensino superior | PLE - Penso Logo Existo - […] o Governo estava a preparar alterações ao regime de acesso ao ensino superior para os alunos do ensino secundário…
  2. O ensino profissional deve ser a primeira escolha (afirma o Presidente da ANESPO) | PLE - Penso Logo Existo - […] em Portugal, em vez de se desmistificar a representação social desta modalidade de ensino que confere equivalência ao 12º…

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *