Saiba quanto custa ter um carro e a que despesas não pode mesmo fugir

Para muitos, o custo de ter um carro próprio não é opcional. Entre casa, o emprego e a escola das crianças, muitas vezes são dezenas de quilómetros que, de transportes públicos (quando existem), demorariam muito tempo a fazer. E o tempo, já sabemos, é sempre pouco.

Para ganhar umas horas, ter mais conforto ou, simplesmente, porque é a única opção viável para as deslocações do dia-a-dia, ter carro é algo tão natural que muitos compram automóvel ainda antes de terem casa própria ou de saírem de casa dos pais.

Mas, afinal, quanto custa ter um carro? Qual o peso desta despesa no orçamento? De seguida analisamos os itens que contribuem para o valor final e avançamos desde já que nenhum deles é opcional.

quanto custa ter um carro

O CUSTO DE TER UM CARRO PRÓPRIO

O custo de ter um carro não é baixo, sobretudo se tivermos em conta que, muitas vezes, este valor é multiplicado por dois ou mais, dependendo do agregado familiar.

Analisando dados da Pordata, verificamos que o rácio de veículos rodoviários motorizados por mil habitantes era, em 2017, de 626,5. Sete anos antes, esse valor estava nos 584,7, valor que teve uma descida nos anos de crise (2012 e 2013), mas que não tem parado de subir.

Ou seja, ter carro já faz parte dos hábitos dos portugueses e esta é uma tendência que, ao que tudo indica, se deve manter. Como tal, estes são os custos que a maioria de nós tem de suportar.

Mensalidade
Para saber quanto custa ter um carro, a primeira despesa a ter em conta, e talvez a mais frequente, é a prestação do automóvel. Se comprou ou vai comprar o seu automóvel a pronto pagamento, pode avançar para a próxima despesa.

Caso ainda não tenha comprado, a primeira questão é: novo ou usado? Já sabemos que esse facto pesar no valor da mensalidade, mas pode também ser importante para reduzir os custos de manutenção. Quanto mais antigo, mais probabilidades tem de avariar.

O tipo de financiamento, o prazo de duração, a escolha da taxa (fixa ou variável) são fatores que vão pesar no valor da prestação mensal. E, claro, tudo depende de vai pedir um financiamento a 100% ou se vai dar uma entrada inicial.

Mas, arredondando grosseiramente valores, podemos avançar para uma média de 150€ por mês para um carro usado e 250€ para um novo.

IUC
O Imposto Único de Circulação (IUC) é uma despesa anual, mas obrigatória. É calculado em função da cilindrada e das emissões de CO2 dos carros.

O valor deste imposto é alterado todos os anos pelo Governo. De acordo com a tabela para o ano de 2019, um ligeiro de passageiros com matrícula desde 1981 até 30 de junho de 2007, vai pagar entre 11,58€ (se tiver matrícula de 1990 a 1995 e uma cilindrada inferior a 1000cc) e 472,78€, no caso de ter uma cilindrada superior a 3500cc.

Já para os ligeiros de passageiros matriculados a partir de julho de 2007, o custo vai de 29,30 a 402,02€.

Seguros
Mais uma vez, há vários fatores que condicionam esta despesa. Certo é que, mesmo não saindo da garagem, o seu automóvel tem de ter seguro de responsabilidade civil. As multas são pesadas e a responsabilidade é ainda maior, por isso, se quer ter carro, não tem como fugir a este custo.

O valor vai depender não só da seguradora escolhida, mas também de fatores tão diversos como a idade do condutor, o número de acidentes com responsabilidade que já teve, o local onde estaciona, o tipo de veículo e, claro, a cobertura escolhida.

Quanto mais básico o seguro, mais barato. Mas a verdade é que, quanto mais barato, menos protegido está.

Uma pesquisa muito rápida vai mostrar-lhe seguros a partir de dez euros por mês, mas o melhor é mesmo comparar preços, ver as coberturas de cada seguro e, claro, ler com atenção as letras mais pequenas.

Inspeção Automóvel
Mesmo que o seu carro esteja impecável e já se tenha esquecido do caminho para a oficina, há uma despesa de que não escapa, a não ser que o seu veículo seja um ligeiro de passageiros com menos de quatro anos.

O valor da inspeção é definido anualmente pelo Governo. Em 2019, o preço para um ligeiro de passageiros é de 31,43€.

Revisões e reparações
As revisões devem ser feitas regularmente e, de preferência, em reparadores autorizados. Devem incidir sobre aspetos essenciais não só para o funcionamento do carro, mas também para a segurança do condutor, passageiros e de todos os que se cruzam consigo na estrada.

Mais uma vez, o valor vai depender dos serviços contratados e do local onde é feita a revisão. A boa notícia é que, inserindo apenas a matrícula do seu carro, é possível comparar online os preços praticados em vários locais.

O mais importante, porém, é ter confiança no local onde faz as revisões e as reparações. Por falar em reparações, esta é mais uma das parcelas a somar quando fizer contas a quanto custa ter um carro. É por vezes uma despesa imprevista, mas é algo com que mais vale contar.

O ideal, para evitar ser surpreendido em caso de avaria, é colocar todos os meses algum dinheiro de lado para fazer face a um imprevisto, que até pode não ser grave. Um pneu furado ou um vidro partido são coisas que acontecem a toda a gente.

Combustíveis e portagens
O valor depende do seu automóvel, da quantidade de quilómetros que faz por mês, do combustível que usa e até do seu tipo de condução.

Se colocar 20€ de gasolina por semana, basta multiplicar esse valor por quatro e perceberá que facilmente atingirá os 80€ mensais.

No caso de ter um carro elétrico, terá de fazer contas aos valores dos carregamentos. Segundo a Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE), o custo de carregamento de 30 minutos, quando feito num posto PCR, varia entre os 3,44€ e os 8,97€.

O carregamento em casa fica mais barato, existindo mesmo tarifas especiais para condomínios e moradias.

Caso o seu percurso habitual passe por autoestradas ou SCUTS, não se esqueça de adicionar esta despesa mensal ao seu orçamento quando pensar em ter carro.

Outro dos custos de ter um carro, caso não tenha garagem em casa ou no local de trabalho, é o estacionamento, sobretudo nas grandes cidades. Existem condições especiais para moradores, por isso deve informar-se junto da sua autarquia.

> Saiba quais são os documentos que é obrigado a ter e trazer no carro

QUANTO CUSTA TER UM CARRO CÁ DENTRO E LÁ FORA?

A título de curiosidade, vejamos o que dizem alguns estudos internacionais, que fizeram as contas a quanto custa ter carro próprio em vários pontos do mundo.

O site AutoCosts analisa o custo médio de ter carro em vários países. Por exemplo, nos EUA este valor é de cerca de 4500 dólares por ano (cerca de 4100€), enquanto no Reino Unido ronda as 4100 libras.

Em Portugal, e de acordo com este site, ter carro custa, por ano, 3842€. Para chegar a este valor foram somados 129€ de custos médios mensais (seguro, IUC, revisões, etc.) e 161€ por mês para custos variáveis, incluindo portagens e combustíveis.

As contas foram feitas tendo em conta dados recolhidos junto de 6452 utilizadores, pelo que são meramente indicativos, mas suficientes para uma ideia aproximada.

A Lease Plan também divulga anualmente um estudo, abrangendo 18 países europeus e fazendo a comparação entre os diversos tipos de combustível utilizados.

Foram consideradas despesas como a desvalorização, seguros, reparações e manutenção, impostos e despesas de combustível.

Calculado a partir de uma média de 20 mil quilómetros por ano e tendo em conta contratos de locação, este índice comparativo conclui que, em 2019, o custo médio de ter carro na Europa é de 617€ por mês. O valor mais baixo é obtido na Grécia (440€) e o mais alto na Noruega (830€).

Analisando exclusivamente o caso português, verificou-se que, ter um carro elétrico custa por mês 833€; este valor desce para os 527€ se for a gasolina; se o combustível for o gasóleo, o custo médio é de 595€.

FONTE: e-konomista

Receba as novidades do Blog no seu email:

Irá receber um email com um link de confirmação. Não se esqueça de clicar nesse link!

Author: PLE

Share This Post On

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *